sábado, dezembro 31, 2005 

2005... AS ÚLTIMAS

Que o tempo passa não é nada de novo. Mas o que parece começar a ser uma realidade quase assustadora é a velocidade a que se faz essa passagem.
Chego ao último dia do ano com poucas perspectivas e muitas preocupações. E lá vou, à meia noite, engulir as 12 passas, formulando um desejo por cada uma.

Em época de balanços, não me apetece fazer contas à vida. Isto é o que é e como é. 2005 trouxe-me mais coisas más do que boas. E lá me resta a esperança de que 2006 seja melhor. É todos os anos a mesma coisa. E, se no que depende de mim, posso usar a minha força interior, a minha fé, já no que concerne às dependências não poderei fazer nada. Embora tente, aqui e acolá. É o meu papel de cidadão que se junta ao espírito de cidadania.

Amanhã será, então, o primeiro dia do resto das nossas vidas. Sem a menor dúvida.

Como será este País, como viverá este Povo, com as más notícias que avançam, desde logo, com promessas de aumentos no custo de vida, em alguns casos com valores superiores ao da inflação que se anuncia em 2,3%? À partida, este valor está ferido de mentira. Mas mesmo que seja um valor para acreditar, o que dizer se, por exemplo, o aumento dos vencimentos da função pública não superarão, palavras do Ministro, os 1,5 %?
Claro que há sempre uma migalha mais. Poderemos atingir os 2%... Ainda assim, o valor fica aquém da inflação.
Por mim, está prometido: quando não tiver dinheiro, vou roubar. Não duvidem. E desafio todos os portugueses a fazerem o mesmo.
Mas, antes dessa medida, impopular com toda a certeza, desafio os portugueses a deitarem fora os míseros governantes que têm zelado pelos nossos bolsos de há uns anos a esta parte, essa corja de incompetentes que nem uma mercearia conseguem administrar.
O problema já não está na côr política. Está no sistema. E é preciso mudá-lo. Urgentemente. Sem cravos, até porque agora estão muito mais caros. Gente com "tomates" precisa-se.

Acabo, por hoje, com uma preocupação de valor acrescentado. A lesão do senhor Sócrates. E não foi um acidente de trabalho, não. Foi no gozo de (i)merecidas férias, numa estância turística de muitas estrelas que um joelho do senhor Sócrates ficou mal tratado. Como reagirá o cérebro do senhor a este acidente? Tenhamos medo. Tenhamos muito medo.

Desejo-vos, com toda a franqueza, um novo ano cheio de saúde, bem fundamental para a qualidade de vida. O que se puder acrescentar, de bom, é bem vindo.

Hasta la vista.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




segunda-feira, dezembro 26, 2005 

(NA TAL) DATA QUE PARECE MAS NÃO É

O Natal 2005 já é história. Parte das festas fica para trás, com a certeza de que a tradição é, cada vez menos, o que era.
Nem o bacalhau tem o mesmo sabor. E o perú? Prostituiu-se e pronto. A "roupa velha" não anima.
E as prendas? Umas melhores, outras nem tanto. A ganhar ficam as antigas lojas dos trezentos, os chinocas e correlativos.
E alguém se lembrou da real e única causa que determina a comemoração natalícia? Hummm, aposto que muito poucos o terão feito. Isso mesmo, o nascimento de Jesus Cristo. Lembraram-se dele na hora da festa? Visualizaram alguma prenda para ele? Mandaram-lhe algum sms? Ahn? Pois...
Os que não acreditam na existência de Jesus Cristo comemoraram o quê? O feriado e pouco mais. Certo? Se estou errado, não hesitem, digam de vossa justiça.

Uma semana de algum trabalho e muitas férias separam-nos do final do ano. Mais uma festança. Abanar o capacete, olhar os fogos de artifício (prefiro o nome de manifestação pirotécnica) onde o erário público é esbanjado, em nome do costume. Ou seja, de coisa nenhuma.
Milhões, muitos milhões se queimarão (com música é mais caro) deixando, no final, cerca de 20 a 30 minutos depois, uma sensação de que nada de novo se passou. Muita parra e pouca uva.
Pr'ó ano há mais...

Esta manhã fiquei perplexo. Poderá atribuir-se a minha perplexidade à chamada "santa ignorância". Mas convenhamos que não é caso para deixar de ficar espantado.
Eu explico. Ao saber que fora feito o sorteio para a colocação dos nomes dos candidatos a Presidente da República nos respectivos boletins de voto, percebi que são 13 os candidatos a PR. Treze?! Momentaneamente, admiti estar a ler mal. Mas não. Lá vinham os nomes dos senhores e senhoras que andaram de porta em porta, alguns, a pedir assinaturas.
O primeiro nome que salta para os boletins é o de Diamantino Maurício da Silva. Josué Pedro é o segundo, Teresa Lameiro o terceiro. E por aí fora, até ao último que será Mário Soares.
Em jeito de private joke, dois pormenores. Soares parte em último - no boletim - e temos uma funcionária pública (Teresa Lameiro), naturalmente a defender a classe que quase todos culpam pelas desgraças nacionais. Ainda por cima, uma mulher do Norte (Gaia), carago!!!
Mas para quem, como eu, pensava não existir gente no nosso País em condições para se candidatar ao cargo, eis uma (relativa) boa notícia.
Afinal, pensando bem, quem tiver 35 anos, ou mais, e as condições pouco exigentes da Constituição portuguesa, pode ser Presidente da República. Ou, pelo menos, candidato.

E pronto, por hoje é tudo. Embora me apetecesse escrever sobre muita coisa, não quero abusar da paciência de quem leia. Daqui até ao final do ano é um instante.
Não se esqueçam das 12 passas e passem bem.

Hasta la vista


Comentários Alternativos - Haloscan:
|




quarta-feira, dezembro 21, 2005 

BOAS FESTAS, E TAL

UM BOM NATAL PARA TODOS, SEM EXCEPÇÃO.

COM MUITA SAÚDE, BOA VONTADE, BOM SENSO E QUE A ESPERANÇA EM MELHORES DIAS SE MANTENHA, APESAR DE TUDO.


HASTA LA VISTA

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, dezembro 18, 2005 

IT'S COLD OUTSIDE

A uma semana do Natal, impera o espírito da boa vontade. Porque tem que ser e o que tem que ser tem muita força. Consome-se até à exaustão, em alguns casos até à dívida. Mas em nome da quadra é tudo permitido e aceite. Se bem que Natal não significa nada disto. Mas esta comparação levar-me-ia a outras paragens e, eventualmente, a ser mal entendido. O que em pleno Natal não dá jeito.

No regresso da música a este blogue (obrigado Raquel) aproveitei para homenagear um grupo espanhol que há muito não ouvia. Os Aguaviva, com o tema "Poetas Andaluces", deixam um cheiro de solidariedade real. Não foi de propósito mas encaixa muito bem na época.

Para que quem passa por este blogue não se atraze nem se adiante, o relógio (obrigado Lualil) configura o bom gosto e confere bom gosto "à sala".

Numa olhadela rápida pelo Mundo eis que constato dois casamentos importantes e mediáticos. Elton John e o seu parceiro de muitos anos vão "dar o nó" dia 21. George Michael anunciou há dias, em Tóquio, que pretende casar com Kenny Gross, com quem vive há quase 10 anos, em Junho próximo.
Dois relacionamentos com o carimbo da homossexualidade. A bem dizer...

As piscinas municipais inauguradas em Setembro em Lisboa (ai eleições eleições), continuam fechadas. Mais de três meses depois, "ainda faltam algumas coisas para abrirmos as portas", disse Pedro Amaro, assessor do gabinete de Pedro Feist, vereador responsável pelo pelouro das Obras Públicas e Desporto.
Ora, se ainda faltam algumas coisas, pergunto eu por que carga de água se procedeu à inauguração? Creio que a resposta é evidente.
Depois de Santana Lopes ter dito a célebre frase "uma piscina em cada bairro", repetida vezes sem conta, o que esperar?

Rui Nabeiro, presidente do grupo Nabeiro (cafés Delta e não só) foi galardoado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola, com o prémio de Empresário do ano 2005, galardão concedido tendo como base a sua contribuição para o desenvolvimento da economia portuguesa, bem como para as relações economico-sociais entre Portugal e a Espanha.
Rui Nabeiro é um homem inteligente. Oferece café a Timor, acaba com o futebol profissional no Campomaiorense, clube alentejano cuja família domina, tem um império onde cada trabalhador é tratado como gente e não como coisa, para não falar das excelentes relações humanas que lhe conferem o estatuto de homem bom.
"Em terra de cegos quem tem um olho é rei". Uma frase que se lhe aplica na perfeição.
Parabéns e um abraço, caro Rui.

Portugal vai organizar o Europeu de Sub-21 em futebol, em 2006. Depois do Euro 2004 e da final da Taça UEFA na época passada, o nosso País assegura mais um grande evento de âmbito desportivo.
Resta saber se tais iniciativas nos tiram da penúria socio-economico-cultural.
Haja fé!

Proseguem os debates presidenciais (é assim que se chamam, não é?). Coisa morna, desinteressante, para português consumir, em lume brando.
Nada se aprende, tudo se confunde. Por instantes, somos levados a pensar que nos debates estão candidatos a primeiro ministros e não a presidentes da República.
Haja pachorra!

Bem, do pouco que esta semana me invadiu o gabinete, creio que para justificar o blogue já chega.

Boa semana para todos. E para mim também.
Agasalhem-se.

Hasta la vista.


Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, dezembro 11, 2005 

VAMOS ANDANDO, ASSIM ASSIM

Há dias alguém me disse que eu sou demasiado político na forma de escrever.
É uma opinião como qualquer outra e merece, por isso mesmo, o meu respeito. Mas, analisando bem a coisa, tenho que dizer que não sou, como nunca fui, político na verdadeira acepção do termo. Não renego, contudo, a minha vertente de cidadão politizado. Costumo dizer que tudo o que se faz é um gesto político. Permitam e desculpem uma ponta de exagero, mas penso de facto assim.

Hoje não falo de debates pré presidenciais. Anda tudo muito morno, sem interesse e muito politicamente correcto.
Não me contradigo. Há semanas temia que o cenário fosse mais ao jeito do bota abaixo. Hoje reparo que estamos no pólo oposto. Gente bem comportada mas sem nada para transmitir. Cá para mim, isto é uma versão soft do povo que se lixe.
Esperemos pelos restantes debates.

Li, já não sei onde, que os lisboetas esperam 11 minutos por autocarro. A notícia deveria mostrar a desgraça lisboeta no que diz respeito à falta de transportes, mormente de autocarros. Quase chorava com pena dos meus vizinhos da capital, quando me lembrei que na minha terra se espera, em média, 40 minutos. Feitas as contas, a malta de Lisboa leva de avanço 29 minutos. E não pensem que estou a referir-me a uma aldeia ou a uma vilazeca suburbana. Refiro-me a Almada. Já sei que deverá vir aqui algum ilustre visitante chamando-me alarmista, entre outras coisas. Porque à sua porta tem autocarros de 5 em 5 minutos e tal... Mas convém que não se vejam só as avenidas chamadas principais onde passam várias carreiras. Extenda-se a análise e o olhar e tirem-se conclusões.

Cova da Moura está na moda. Num ápice, parece ter passado de lugar de minorias criminosas a local de grandes projectos turísticos. Confesso que ainda não percebi muito bem o que se está a passar. Mas que o Presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, deve ter arranjado uma poção mágica, lá isso deve. Resta saber à conta de quem e para bem de quem.

A OTA (fenómeno aeroportuário em estudo) vai ser uma obra muito cara. O TGV vai custar o dobro. O dobro de muito será quanto? Conseguiremos quantificar? Eu não!
Entre negociatas e privados bem intencionados, baralhem-se as cartas e volte-se a dar. O nosso governo está atento. Estarão os portugueses igualmente atentos?

"Apito Dourado"e "Casa Pia". Escolho apenas dois mega processos para trazer à evidência como não anda a justiça em Portugal.
Acumulam-se arguidos e assuntos. Falta gente para lidar com as matérias inflamadas.
Isto é de doidos! O Procurador-Adjunto do Ministério Público em Gondomar foi aconselhado pela hierarquia a restringir a investigação do processo "Apito Dourado", por ter criado um monstro processual.
Em ambos os processos está em causa, clara e inequivocamente, a imagem do Ministério Público.
O mesmo Ministério Público que não está a conseguir evitar a violação do segredo de justiça.
O Procurador Geral da República, Souto Moura, garante que continua no cargo com o mesmo empenho.
Resta saber se esse empenho é suficiente ou se alguém está a puxar o tapete.

Permitam-me uma saudação ao SL Benfica, pela passagem aos 1/8 final da Liga dos Campeões Europeus, depois da excelente vitória ante um dos colossos do futebol mundial, o Manchester United, de Sir Alex Fergusson, Carlos Queirós, Cristiano Ronaldo e outras amuadas estrelas.

Boa semana e hasta la vista


Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, dezembro 04, 2005 

Amanhã, dia 5, este modesto blogue completa 9 meses. Amanhã. O tal amanhã que a Xana, dos Rádio Macau diz ser sempre longe demais.
Estejam à vontade. Deixem uma mensagem. É sempre bom ler-vos. Porque vivo em constante aprendizagem.

Faz hoje 25 anos que Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa morreram. No tal acidente (?!) do Cessna que havia levantado de Lisboa com destino ao Porto.
E 25 anos depois não há certezas. Acidente? Atentado?

A gripe das aves continua por aí. Mais casos detectados. Agora na Roménia. O que eleva para 13 o número de situações detectadas e confirmadas naquele País.

O governo quer autarquias e privados a financiar creches e lares. Vieira da Silva, o ministro do Trabalho e da Solidariedade Social diz que quer acabar com o modelo único de investimento público central para envolver mais os privados e as autarquias.
Com esta atitude o governo pretende, é evidente, divorciar-se de uma tarefa que lhe compete, remetendo para terceiros uma obrigatoriedade social onde deveriam participar como parceiros e não como figura principal.
Conseguir-se-á, ao menos, com esta atitude, acabar de vez com lares faz de conta e legalizar quem tem condições para tal acabando, de vez, com as ilegalidades?
A propósito de lares aconselho vivamente a leitura de um texto publicado pelo Farnando Bizarro no seu "Fraternidades".

As presidenciais aproximam-se e nada de novo. As entrevistas na RTP, a cargo da Judite de Sousa, nada têm acrescentado à vulgaridade. Candidatos sem chama. Reparei no extremo nervosismo de Cavaco Silva. O que não é hábito nele. Cavaco não esteve bem. O que não me admira. Os outros fizeram pela vida mas não convenceram. Aguardemos os debates.
Soube agora que Jerónimo de Sousa e o PCP terão ponderado apoiar um candidato presidencial que abrangesse toda a esquerda, ideia que não tomou forma em face das alegadas indecisões do PS. Pois...

Com o Natal a chegar, aperta-se o cerco ao consumismo e começam a surgir, aqui e acolá, os sorrisos próprios da época. A amizade, mesmo que fingida, vai ser quase uma constante. Estamos nessa.

Hoje é o primeiro dia do resto das nossas vidas. Não é, Sérgio Godinho? A propósito. Oiçam a canção "Lisboa que amanhece", na versão dueto do Sérgio com Caetano Veloso. Um espanto!

Hasta la vista.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




quinta-feira, dezembro 01, 2005 

CARICATURAS DA VIDA

Feriado. A meio da semana sabe bem. Muito melhor quando, com esse descanso, ficamos um tempo mais longe de quem não suportamos no dia-a-dia profissional. É o caso. Com excepções, está bem de ver.

Uma má notícia. O Banco Central Europeu decretou o esperado aumento da taxa de juros para 2,25%. Refiro-me, obviamente, à região do Euro. A nossa. Consequências? A não perder, já a seguir, numa Bolsa perto de si, de imediato, no seu bolso, logo após.

Uma boa notícia. Liedson, esse magnífico ponta de lança que o Sporting consagrou, continua de castigo. Não foi convocado para o jogo com, ou contra, o F.C.Porto do próximo sábado. E eu ralado...

Uma notícia que não aquece nem arrefece. A operação "Natal em Segurança 2005" começa às zero horas de hoje e prolonga-se até às 24 horas de 02 de Janeiro. Lá para o ano que vem. Um trabalho a cargo da PSP e não tem nada a ver com as habituais operações de trânsito. Esta vai, e passo a citar, "ocupar-se da vigilância e reforço dos locais considerados de risco, por propiciarem aglomerados de pessoas", citei.
Ãhn? Locais considerados de risco por propiciarem aglomerados de pessoas? Assim tipo Assembleia da República? Será?

Uma notícia com consequências ainda indefinidas. A Organização Mundial de Saúde vai deixar de contratar fumadores. A partir de hoje. E oferecem apoio médico a quem queira deixar de fumar e já faça parte dos quadros. Boa!!! A OMS tem o meu apoio. E como eu não fumo, acho que me vou candidatar a um empregozito. Sem necessidade de apoio médico. Bem visto!

Outra boa notícia. A taxa de desemprego baixou, consideravelmente... na Alemanha.

Uma dúvida. Como estarão as coisas em França? Já diminuiu o número de viaturas queimadas por noite? Já pode a Europa dormir descansada? Ufff que alívio!

Uma notícia do caraças. O líder da oposição espanhola, Mariano Rajoy, sobreviveu hoje à queda de um helicóptero, perto de Madrid. Desabafo de um dos passageiros: "Podíamos ter morrido mas estamos bem". Que frase! Que ideia! Que conclusão brilhante!

Presidenciais em Portugal. Uma mão cheia de más notícias. Nunca mais acabam estas patéticas entrevistas? Por acaso vamos todos nós, portugueses coitados, ficar a saber mais dos candidatos, depois das investidas feitas na diagonal, tipo perguntas surpresa, feitas pela irreconhecível Judite de Sousa? Então e os outros candidatos (são, não são?), como o Garcia Pereira e o José Maria Martins mais alguns ainda à procura das assinaturas? Não têm direito à entrevista? O que Portugal perde com essas ausências!?!?
E como vamos de sondagens? A mim nunca me perguntam nada. Não pode ser. Se tivermos em consideração a minha capacidade de mobilização cá em casa, veja-se o lapso que consiste a ausência de uma abordagem cá ao rapaz.

E agora vou-me embora. Amanhã é dia de trabalho. Digo eu.

Hasta la vista.





Comentários Alternativos - Haloscan:
|