sexta-feira, setembro 23, 2005 

A MENTIRA (AINDA) É UMA ARMA

Creio que as eleições que se aproximam nada nos vão trazer de novo a não ser a suspeição e a mentira em ritmo crescente.
Exemplos disso são, sem sombra de dúvida, Ferreira Torres, Isaltino Morais, Valentim Loureiro e Fátima Felgueiras.
Não me compete julgar. Para isso existem (será que funcionam bem?) as polícias, os tribunais, os juizes. Apenas tenho o direito de questionar. Do alto da minha honestidade de português lixado e mal pago, interrogo-me até onde vai, até onde irá, a mentira, a desonestidade, o tráfico de influências e respectivos sacos de cores diversas.
Pergunto, analiso, oiço, leio, analiso, volto a ler e a ouvir, analiso, e não saio desta roda estonteante e miserável. A dúvida persiste em mim. Sem esclarecimento adequado. Intencional? Quem sabe...
Casos mais mediáticos (ou mediatizados) são, na minha perspectiva, os de Valentim e Fátima.
Os meandros do futebol corroem o major, o saco azul deu cabo dos planos de Fátima. Isto, numa observação enviezada.
Gondomar e Felgueiras torcem, aparentemente, pelos seus ex Presidentes. Valentim é popularucho que chegue para mover montanhas e atirar com areia para os olhos do sistema. Fátima encenou e ensaiou a peça e com o devido patrocínio troca as voltas à justiça.
Dividem-se as opiniões. Até nos meios forenses os doutores opinam como autênticos misturadores de leis. Poderia Fátima candidatar-se, António Marinho? Não poderia , Saldanha Sanches?
Em qualquer das quatro situações aqui focadas, os cenários são possíveis graças a buracos na legislação. Que não é de cariz absoluto. Culpas? Obviamente do legislador que agora assobia e disfarça para português (não) ver.
Estão criadas situações aberrantes por inépcia do sistema legislativo. De onde se infere que a justiça está ferida no seu conceito mais fundo.
Na verdade, os quatro vão a votos em circunstâncias patéticas que descridibilizam (ainda mais) a política e não abona a justiça.
Voltando a individualizar, veja-se que o próprio Ministério Público acaba de contestar a decisão da Juiza do Tribunal de Felgueiras.
God save justice!!!
Fátima Felgueiras, vinda do Rio de Janeiro onde vivia num luxuoso apartamento, a 800 metros da praia, pela módica quantia de quarenta contos por mês (números redondos e antigos), chega a Portugal sabendo que a PJ a esperaria para fazer o seu papel. A imunidade iria permitir-lhe seguir viagem. Beneficiando da altura em que o faz, tira vantagem da desgraça em que se colocou, ou foi colocada, sei lá, reavivando as almas felgueirenses de tal modo que se as eleições fossem hoje sairia vencedora.
O crime compensa. A bem dizer.
À espreita continua Valentim. Táctico, como sempre, piscando o olho qual velha raposa habituada a um deserto de ideias. Dia 9 é já ali e quem promete pode tirar disso proveito.
Obsecado, irreverente e stressado, Ferreira Torres já tem o livro de encomendas cheio e teve de recorrer às reservas. Electrodomésticos? É já a seguir!!!
A olhar para o futuro, pensando no passado, sem saber o que fazer no presente, Isaltino desejaria ouvir a canção "Oh tempo volta pra trás" para, quem sabe, não repetir os mesmos pecados. Os oeirenses preferem a estabilidade.
E agora vou fazer contas. Será que conseguirei ser eleito?
Hasta la vista.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, setembro 18, 2005 

ISTO DOS TÍTULOS É LIXADO...

Meia dúzia de acontecimentos fazem a semana do nosso contentamento. Entre coisas feitas e por fazer entramos numa autêntica roda viva, enquanto a situação económica não melhora. Temos, por isso e à espera disso, muito tempo para admirar o Mundo, interna e externamente. Nada de lamechices que dos fracos não reza a história.
Ao acaso, perfeitamente ao acaso, vejamos o que vai por aí.
Hoje é dia de eleições na Alemanha. Um dos maiores símbolos do querer e do poder parece, de há uns anos a esta parte, adormecido e sem capacidade. Problemas não faltam. O desemprego nunca foi tão grande desde a segunda guerra mundial.
Contam-se os votos, daqui a algumas horas. As escolhas não são muitas. Gerhard Schroder, social democrata no poder desde 1998 tenta a reeleição. O adversário poderia ser pior mas as dúvidas do eleitorado centram-se, como é evidente, na incapacidade até aqui mostrada por Schroder, o que o enfraquece. A adversária chama-se Angela Markel, é democrata cristã, com alguma chama, tem aparecido bem nas sondagens mas cometeu um erro que (na Alemanha é assim) pode tirar-lhe a vitória. Chamou o fiscalista Paul Kircchof para a pasta das finanças. Apesar desse pequeno grande pormenor, Angela deverá ser a nova líder alemã. Muito por demérito do seu opositor Schroder.
Estas eleições têm uma importância enorme, não só para a própria Alemanha como para a restante Europa Unida (desculpem o termo).
Portugal continua a arder. Menos, mas arde. Há poucas horas atrás, Agadão, em Águeda, e Canelas, na Anadia, viviam situações difíceis.
Outubro vai ser o mês do arranque no que diz respeito a medidas com vista ao futuro. Resta saber que futuro e, sobretudo, que medidas.
Joaquim Almeida, sabem quem é, claro, fez estremecer o Mundo. Através de um jornal de Newark (não confundir com New York) fez saber que vai tornar-se cidadão norte-americano. Diz o rapaz que será dia 12 de Outubro. Lá, no País onde paga os impostos (palavras dele).
Aqui está uma notícia que se não existisse, a vida não seria a mesma. Algo vai acontecer com verdadeiro significado.
Com este êxtase existencial, não me admiro que ainda apareça alguém a dizer: "Joaquim a Belém, já".
E agora, senhoras e senhores, a informação por que todos esperavam. A bomba, o acontecimento, o ahhhhhhhhhhhhhhhhh, o ohhhhhhhhhhhhhhhh, sei lá. A vida submarina nunca mais será a mesma depois disto. E isto é... tchan tchan tchan... eles vão gravar um disco juntos!!! É já a seguir. Não percam o acontecimento do século. E quem são eles, quem são? Ora aí estão... Julio Iglesias e Tony Carreira. Música, luz, som, enfim. Eles vão cantar juntos. As gravações arrancam (para onde, o quê?) este ano. 2005, um ano a fixar. Local do crime, perdão, da gravação, Miami. Tony carreira, o fenómeno, qual ovni do Entroncamento. Julio Iglesias, a lenda. Muito pior do que a lenda de el rei D. Sebastião.
E mais não escrevo. Já estou a tremer de tanta emoção.
Miami, do outro lado, continua a deliciar-nos com o CSI Miami, liderado pelo excelente David Carusso. Até quando? Assinala-se o regresso de ER - Serviço de Urgência para as sextas feiras do AXN. O que vão fazer ao CSI Miami?
Outro CSI, o simples, sem aditivos, regressa aos ecrãs dia 20.
Atenção à grelha da FOX que nos trás excelentes séries como, só por exemplo, "Rescue".
Termino com o registo daquele puto regila que mesmo dorido, olhos inchados de tanto chorar, dizia à saída do hospital: "Só com uma pancada na cabeça tenho mais pontos que o Benfica"....
Duhhhhhhhh!
Hasta la Vista

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, setembro 11, 2005 

A PACIÊNCIA... IMPLODIU

Agora sim. A fiscalização já emitiu o alvará e a licença de utilização. Sabem como é, depois das obras eles, os fiscais, são como cão atrás do gato. Mas está tudo bem e, mesmo sem suborno, a casa está pronta a (re)funcionar.
Falou-se muito, demasiado, da implosão. Em Troia. O tio Belmiro que ainda há pouco tempo havia ameaçado que optaria por investir no estrangeiro, abandonando novos projectos em terras lusitanas, deu o dito por não dito, sabe-se lá porquê, e promete, para a península troiana um majestoso projecto turístico.
Em Troia, implodiram-se as torres (não gémeas), com honras de transmissão televisiva à exaustão. Disso pecaram todas as estações televisivas presentes.
À hora da implosão estava eu no dentista. Uma idosa resmungava com a funcionária. "Oiça lá, quando é que sou atendida? Olhe que eu quero ir ver aquilo em directo". Aquilo era, claro, a implosão. E o meu amigo Dr. António Paula Sanches lá despachou a senhora. Dali saíu pronta para a implosão não sem que antes a D. Delfina da ervanária lhe perguntasse pela tensão, se estava melhor, e tal. A D. Delfina ficou, então a saber que da tensão a senhora nada sabia, não era relevante, e ficou igualmente a saber da implosão.
Nos telejornais, implodiu a minha paciência. Repetição de imagens. E o momento, presumo que solene, dos apertos de mão, mostrado ao País com grandes planos do sorriso, ainda com ar queniano, do senhor Sócrates, da gravata nova do senhor Belmiro, do ar benigno de Carlos Sousa, Presidente da Câmara de Setúbal e de outras belezas do reino.
Ai tão inimigos que nós éramos...
As autárquicas estão aí. Falta menos de um mês. Nota-se a falência política. A falta de gente para preencher as listas. Há ordem para inaugurar. O costume.
No meu concelho, a CDU, mesmo com problemas de constituição das listas, avança. Com muita gente a engulir sapos. Dentro e fora do Partido.
O PS aposta na credibilidade humana de Alberto Antunes, ex governador Civil de Setúbal. Mas aquele cartaz onde se lê que Almada parou no tempo é, no mínimo infeliz. Pode haver muita coisa mal mas este Concelho está a milhas de ter parado no tempo.
O PSD acredita que vem aqui queimar tempo e lança Pedro Roque. Quem? Sei lá!!! Só vi os "outdoors".
O CDS/PP apenas concorre à Assembleia Municipal e a uma ou duas freguesias. Crise? Talvez.
À espreita de um bom resultado está o BE. Gente capaz há. Não sei se será suficiente. A ver vamos. Não é Ermelinda?
Mas atenção que nas freguesias pode haver mexidas. Em risco de mudar de mãos (a opinião é minha e não baseada em qualquer sondagem) estão Cacilhas e Pragal. Onde, respectivamente, BE e PS apresentam argumentos (nomes) de peso. Também a Charneca de Caparica pode conhecer outras cores. O candidato da CDU está a escassos votos de cantar vitória. Tanto mais que o seu eterno rival e que tem ganho em anos anteriores, não se recandidata. Não é assim Victor Reis?
Bom, fico-me por aqui nesta mini incursão política, coisa pouco habitual em mim. Mas apeteceu-me.
Ontem foi inaugurado o Estádio Municipal José Martins Vieira. Perto do Parque da Paz. Está bem situado, tem relva sintética e algumas boas condições. O que é inimaginável é que num tempo em que se apela à presença do povo nos estádios, dando-lhe as melhores condições possíveis, o Município Almadense tenha construído um estádio, de raíz, sem qualquer cobertura. No inverno fica-se à chuva, no verão, ao sol. E o povo não gosta disto. Como já demonstrou.
A Câmara ofereceu aos presentes chapéus de aba. Estava sol. Será que quando chover vão oferecer chapéus de chuva?
O estádio, sendo municipal, vai ser maioritariamente utilizado pelo Clube Desportivo da Cova da Piedade. Com vantagens mas com mais inconvenientes. Aguardemos.
New Orleans foi um tiro no pé de George W. Bush. Não pela catástrofe, faz parte da Natureza. Mas pela inoperância demonstrada pelo poder federal que "brincou" com tudo e com todos.
Se as eleições fossem agora...
Amigas, amigos, conhecidos e outras "espécies", uma boa semana e até breve.
Hasta la Vista

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




quarta-feira, setembro 07, 2005 

REGRESSO SEM AUSÊNCIA

Antecipei em alguns dias o regresso efectivo à lide bloguística.
Tinha a "casa" pronta, pintada de novo e tal, pelo que achei conveniente não a deixar assim às moscas.
Antes de mais quero, por justiça, agradecer à Lualil do Traduzir-se o empenho e o desempenho na renovação do visual deste blogue. Um beijinho de gratidão que atravessa o Atlântico e vai direitinho ao Recife. Obrigado Liliana.
Tenho, naturalmente, acompanhado o que se passa, um pouco por todo o lado. Gostei de algumas coisas, detestei outras. Ninguém nem nada é perfeito. Mas há coisas evitáveis.
Respiro fundo e entro já naquela fase em que o trabalho está à porta (por isso ela, a porta, se mantém fechada) e preciso de me mentalizar que tem que ser. E o que tem que ser tem muita força.
O tempo não tem permitido que esta última semana seja de praia, na praia. Como alternativa, porque a Natureza faz parte de mim, o campo é a fuga possível. Como dizia o outro... "é tão bom viver no campo"... e acrecento eu... "com a praia perto".
Pronto! Não me levem a mal mas vou ali. Distraiam-se, sejam felizes, nunca esquecendo a medicação atempada, vão para dentro.
Novidades? Nem no Continente!!!
Hasta la Vista.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|