sábado, junho 25, 2005 

INTERIORIZAÇÕES... (grande título, ahn?)

Estamos a 20 dias do jantar organizado pelo nosso amigo Fernando Bizarro http://www.lusomerlin.blogspot.com/. Espero que sejamos muitos a dar um enorme abraço a quem merece. Além disso, será uma grande oportunidade para nos conhecermos pessoalmente. E, quem sabe, não seja igualmente uma grande refeição para o "Rafa" (quem lê o Fraternidade sabe ao que me refiro). Um alô especial para o Hugo Guerreiro (vais lá estar páh?).
Dia 16 de Julho, lá estaremos, se Deus quiser.
Quero agradecer publicamente à Claudia (blue C) http://reikiocaminho.blogspot.com/ pela "dica" que me deu a propósito do "Reiki e a abundância". Ela sabe do que falo. Um beijinho nesse coração enorme.
Andei a "cuscar" vários blogues. Alguns em curva descendente, outros ao contrário. A maoria a manter a forma a que nos habituou.
Para o Victor http://www.ideotario.blogspot.com/ o meu desejo de que esta luta, mais uma, que se aproxima, seja coroada de um grande êxito. Ele sabe que estou a seu lado, apesar dos apesares. Outubro dirá se o dono da Oficina das Ideias continuará a ser um vencedor. Não faço apelos ao voto mas o Victor merece esta vitória embora, a acontecer, as dores de cabeça passem a ser maiores. Ele sabe o que quero dizer. E sabe o quanto eu gostaria de o ver na cadeira do poder. Força Victor!
Dubrovnick, na Croácia, está ainda a ser palco de umas mini-férias de outra bloguista amiga. Lá anda, de mapa em punho, a Lucia "lima" http://lucialima.blogspot.com/ . Um beijo, doutora.
São várias as referências que me apetece fazer a outros tantos bloguistas. Pela sua generosidade, pelo seu empenho, pela forma de estar, pelo que com eles aprendo, pela amizade, ainda que virtual, pela cumplicidade.
Assim como me apetece cumprimentar quem não tem blogue e que aqui vem, de uma forma ou de outra, mostrar-se, no bom sentido claro, fazendo com que as suas palavras preencham o meu ego e aconcheguem o meu coração.
Para todos(as) um abraço/beijinho com votos de muita saúde, sorte e dinheiro para gastos (e impostos).
Do Reporter em fim de semana.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, junho 19, 2005 

DE REGRESSO MAS POUCO

Tenho andado numa de preguicite e consequente falta de vontade de escrever que não é brincadeira. Comentar aqui e acolá, ainda vá. Agora puxar pela cabeça é que se torna complicado. Mas hoje, domingo, 40 graus à sombra (lembram-se da canção dos radar Kadafi, com este nome?), quase em hora de almoço, apelo à resistência anti-tudo e solto as amarras.
O calor aperta. Vários distritos portugueses estão classificados com alertas coloridos, conforme a gravidade da sua sujeição a perigos de incêndio.
Os programas feitos pelos (ir)responsáveis em anos anteriores andam perdidos por algumas gavetas de um qualquer ministério (ou será mistério) deste nosso pedacito lusitano. Programas que visariam prevenir (que linda á a palavra) contra o flagelo que vai devastando o que ainda há para devastar. Entretanto, alguém feito Nero assiste, da sua varanda da incompetência, a tudo isto, impávido e sereno, até que a terra lhe doa.
Portugueses estão sob risco de ataques xenófobos no Reino Unido. A polícia inglesa colocou alarmes nas residências portuguesas da localidade de Towbridge, para as proteger dos ataques. Tudo isto, note-se, porque um cidadão português, de nome Hugo Quintas, terá assassinado Hayley Richards, sua namorada, de 23 anos, grávida de três meses. O pobre coitado teve que se refugiar em paradeiro incerto para fugir à fúria dos trogloditas que só queriam fazer justiça por conta própria. Afinal o Hugo só assassinou a namorada, grávida, uma jovem na flôr da idade. Coitado. Já não se pode ser assassino neste mundo. Óh crueldade!
Quarenta milhões de cartões de crédito terão falhas no seu funcionamento, segundo um comunicado emitido pela MasterCard Internacional. Entre eles, mais de 20 milhões de cartões da rede Visa Internacional estarão vulneráveis, podo em risco as contas bancárias dos seus utentes. Fico perplexo e preocupado. Como vou fazer as minhas compras em segurança? Lá se vai aquele iate último modelo e o Mazzeratti que tinha encomendado há dias. Este mundo está mesmo um perigo. E as minhas férias nas Seychelles? E a mansão pré contratada, mesmo ao lado da Tina Turner, na Suiça? Tina, tu desculpa este teu amigo mas vamos ter que adiar o jantar...
Bem me queria parecer que havia coisa estranha na papelaria onde pretendia comprar o selo (imposto municipal) para o meu Audi TT... Não me aceitaram o pagamento com cartão. Só cheque ou "cash"!
A BP está a fazer uma campanha interessante. Por um lado tem o combustível mais barato. Por outro, aos possuidores do cartão BP Premier Plus, acrescentam 100 pontos no mesmo pela compra de três embalagens de pastilhas elásticas Trident Dental + sem açúcar. Digam lá que não vale a pena ser cliente BP? Paga menos 0.002 € por litro (grande liberalização) e ainda tem direito a mastigar até se cansar. Pagando, claro.
Faltam 12 dias para que o IVA suba. A partir de 1 de Julho, esqueçamos os 19 e fixemo-nos nos 21%. Que pena tenho de não viver nas imediações de Espanha. Era canja. Com um tiro matava dois coelhos. Um passeio, de vez em quando, e compras muito mais baratas. É que o valor máximo do IVA é de... 16%. Lembrando sempre que a bem da cultura os livros e os discos (os de música, não os voadores)) são facturados com um IVA de 3%. Mas eu disse a bem da cultura? E ísso é coisa importante? Evidentemente que não! Maniaas, é o que é.
E que tal um salto à praia mais pelo meio da tarde? Isto é que é qualidade de vida!!! Preocupações para quê?
A bem dizer...

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, junho 12, 2005 

"OS MALVADOS DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS"

Com a devida autorização transcrevo um texto colocado pela Ermelinda, do http://osabordaspalavras2.blogs.sapo.pt/ que subscrevo, com devida vénia.
Aproveito para sugerir ao Miguel Sousa Tavares um pouco de contenção e de bom senso. Leiam o texto, apesar de longo, mas vale a pena para se perceberem certas coisas.
Dou os parabéns à Ermelinda pela visão correcta com que apresenta o texto.
Vamos a ele.

(início de citação)

*Não era minha intenção escrever sobre o assunto (porque já sabia que me iria chatear, pois claro!), mas depois de ler o artigo do Miguel Sousa Tavares que saiu no Público de ontem, não podia ficar calada.

Foi a gota de água... Estou FARTA (ouviram? Estou FARTA! FARTA mesmo!) destes cavaleiros da ética e da moral, que emitem opiniões tomando a parte pelo todo (ou seja, julgam a generalidade pela amostra... sem fazer ressalvas) e ainda por cima gostam de comparar situações sem esclarecer na íntegra os factos, induzindo os cidadãos a formularem conclusões erradas. Meter todos no mesmo saco, eliminando os bons apenas porque existem alguns maus, é de um autismo atroz, além de extremamente injusto. Assim como fazer dos mais fracos os bodes expiatórios do mau funcionamento do sistema, enquanto deixam passar incólumes os verdadeiros responsáveis, é desonestidade intelectual.

Se é verdade que existem alguns privilegiados na Administração Pública que gozam de benefícios que a generalidade dos trabalhadores do país não tem (é a saga dos regimes especiais que protegem classes minoritárias dentro da AP), deve-se também referir que a maioria dos funcionários públicos não usufruem dessas ditas regalias. E mentir para dar ênfase à nossa opinião (em vez de fundamentar de forma transparente todas as afirmações), é uma atitude inqualificável.

Trabalho na Administração Pública Local desde 1987, o que faz de mim funcionária pública já lá vão 18 anos. Conheço muitos abusos e comportamentos negligentes que me deixam revoltada, mas também sei de casos exemplares de empenho e dedicação dos quais ninguém fala. Porquê? Por isso, não admito que levemos todos roda de incompetentes e sejamos acusados de viver à sombra de um estatuto de privilégio, quando esse é um retrato distorcido da realidade.

«Horários reduzidos»?: Na AP a duração média do período de trabalho é de 7h... na privada 8h. Mas nada impede, em termos legais, os empresários de nivelarem os horários por baixo, todavia preferem-no ultrapassar até. E são os funcionários públicos que têm culpa disso?

«Metem mais baixas que os outros trabalhadores»?: Existe algum estudo credível que faça essa análise? É que eu gostaria de saber os números exactos!

«Recebem muito mais por baixa do que os outros»?: Quando está de atestado médico, um funcionário público recebe, de facto, 100% do vencimento de exercício a partir dos 30 dias de doença já que no primeiro mês é-lhe reduzido 1/6 que pode, ou não, vir a ser reposto. Mas esta quantia, porque é um rendimento e não um subsídio, tem de ser tributada em IRS (taxa variável) e ainda é objecto dos descontos obrigatórios – CGA (10%) e ADSE (1%) e de outros facultativos, se para eles contribuir habitualmente, como por exemplo – sindicato (1%) e associação profissional (0,5%). Ou seja, nenhum funcionário público recebe o ordenado por inteiro quando está doente.

No Sector Privado, os trabalhadores quando estão de baixa médica, recebem uma subvenção que corresponde a 65% do seu vencimento. Todavia, esse valor não é considerado rendimento, logo não é objecto de qualquer desconto sendo recebido na integra.

Sou de opinião que se deva aproximar os dois regimes, sem senhor. Mas que fique esclarecida de vez esta mentira que até o governo tem andado a proferir para se armar em justiceiro. Uma medida populista que, na prática, não tem qualquer reflexo na diminuição da despesa do Estado, porque esta suposta poupança de 35% é uma falácia... haverão até muitos funcionários públicos que passarão a receber mais através do novo regime (eu serei um deles, por isso esta medida tem todo o meu apoio – que se reponha, de facto, a justiça!).

«Metem licença quando querem»?: que licenças são essas? Que eu saiba a sua concessão está tipificada na lei e obedece a condições específicas... por mais voltas que lhe dê não consigo encontrar essa opção do «quando querem».

«São promovidos automaticamente sempre com a classificação de "excelente"»?: confundir progressão (passagem para um escalão superior na mesma categoria) com promoção (passagem para a categoria imediatamente acima na respectiva carreira) é outra confusão frequente. A progressão que ocorre de três em três anos (ou de quatro, em quatro anos), e que está dispensada de formalidades, representa uma subida insignificante de vencimento (na maioria dos casos 10 a 20 €). Quanto à promoção (que pode trazer com ela aumentos mais substanciais de salário) ela só pode ocorrer se houver vaga na categoria seguinte, for aberto concurso e o trabalhador obtiver a classificação suficiente para tal... conheço pessoas que estiveram cerca de vinte anos para serem promovidas, outras que já estão à espera há mais de seis, oito, dez e até 15 anos.

«Têm pensões de reforma percentualmente maiores»?: desde 1993 que a legislação estabelece que «a pensão de aposentação dos subscritores da CGA inscritos a partir da entrada em vigor do presente diploma é calculada nos mesmos termos as normas legais aplicáveis ao cálculo das pensões dos beneficiários do regime geral da Segurança Social» (artigo 1.º do DL n.º 286/93), sem esquecer que muitos dos trabalhadores da Função Pública já descontam directamente para a Segurança Social (como os contratados a termo certo, por exemplo).

E fico-me por aqui que já estou cansada.

Ermelinda Toscano*

(fim de citação)

E ficou muito por dizer, creio.
Uma boa semana para todos.

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




sexta-feira, junho 10, 2005 

SOLTAS EM DIRECTO

Podia começar por me queixar do calor mas prefiro ser coerente e aceitá-lo como fazendo parte da Natureza e do que ela nos dá, quer gostemos quer não. Assim, há que encontrar, na medida do possível, "remédios" para amenizar as altas temperaturas que assolam o País, tão fustigado por outros "calores", esses sim, causados por demências ocultas e mentes mais ou menos perversas.
Por causa do calor, dizem, os incêndios já "andem aí". Sem que se vislumbrem resultados das medidas anunciadas pelos senhores governantes que por cá têm passado. O País arde, os cães ladram (alguns) e a caravana passa, apesar da alteração do imposto sobre os produtos petrolíferos, publicada ontem em DR.
Mas nem tudo é mau. A selecção ganhou (viva Portugal do pontapé na bola), mais um ouvinte do Rádio Clube Português, a Sónia, ganhou um fim de semana na estranja, desta feita em Paris, há muitas praias com bandeira azul, as campanhas para vender telemóveis são aliciantes (não se esqueçam dos preços elevados das chamadas), o Senhor Sócrates tem um novo penteado, a D. Eugénia, minha estimada vizinha, está melhor das varizes, e por aí fora.
Por falar em coisas boas, uma chamada de atenção para Star Wars: Episódio III - A Vingança de Sith. Já anda a arrasar nos cinemas de todo o mundo, depois de uma bem ostentada apresentação no Festival de cannes, com a presença de George Lucas, o realizador, e todo o elenco principal, com destaque para a "careca" de Natalie Portman, visual a que foi obrigada para a rodagem de V for Vendeta, a adaptação da série de BD de Alan Moore, levada a cabo pelo realizador estreante James McTeigue, com argumento e produção dos irmãos Wachowski.
Quem aprecia a saga da Guerra das Estrelas, não deve perder o filme, um dia destes, num cinema por perto.
Ainda na 7ª arte, e como curiosidade, registo para o primeiro encontro profissional entre Jennifer Lopez e António Banderas. Trabalharão juntos no filme "Bordertown", um thriller que George Nava está a rodar no México e no Novo México, inspirado nos assassínios de mulheres em Ciudad Juaréz.
E atenção a Mr. e Mrs. Smith (Angeline Jolie e Brad Pitt), um casal com quem é melhor os vizinhos não arranjarem sarilhos. E mais não digo.
Notícia veiculada pela imprensa dá conta de que de acordo com uma estatística, a maior parte dos portugueses considera legítimo bater em crianças. A Organização Mundial Contra a Tortura recomendou ao Governo português que lance uma campanha de sensibilização sobre maus tratos. Na lista negra da OMCT estão, ainda a Itália, a Grécia, a Bélgica e a Irlanda.
No meu Concelho, Almada, as autárquicas 2005 já mexem. A CDU apresentou os candidatos às Freguesias, registando-se três novidades (Caparica, Costa de Caparica e Trafaria). Foram também apresentados os cabeças de lista à Assembleia Municipal (José Manuel Maia) e à Câmara (Maria Emília Neto Sousa). Sem novidades, portanto.
Onde parece haver dificuldades, segundo as "conversas de corredor", consubstanciadas por outras conversas, "melhor colocadas", é com os lugares que darão acesso ao lugar de vereador. Perfilam-se três saídas e muitas dificuldades para a sua substituição.
Mas, claro, este cenário está, o que se aceita, no chamado "segredo dos deuses".
Por hoje fico por aqui, nesta missão de Reporter atento e vigilante.
Praia? É já a seguir. Mas é que é... já a seguir!

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




domingo, junho 05, 2005 

ISTO É QUALIDADE DE VIDA

Vejam só a maravilha de relógio que a partir de hoje marca presença neste recinto de divagação cultural e não só. Graças à estimada lualil (http://www.traduzir-se.blogspot.com/) que me surpreendeu com uma oferta. Esta mesmo. Um relógio de quartzo com vista para o blogue. Obrigado querida amiga. Vamos ver se o Engº Socrates não aumenta o imposto sobre a utilização de relógios nos blogues.
Também hoje adicionei dois blogues à lista dos "Blogues Favoritos". Mesmo sem autorização dos proprietários (democracia é assim), a Lúcia e a Cláudia, respectivamente do http://lucialima.blogspot.com/ e do http://reikiocaminho.blogspot.com/ têm os seus cantinhos aqui "publicitados" e o privilégio é todo meu. Espero que elas não se zanguem. São lindas demais para fazerem cara de más, que nem são. Também aqui fico em "suspense" já que me parece não fazer parte do programa do governo uma taxa sobre a quantidade de blogues "publicitados". Mas nunca fiando!
O calor veio para ficar, ao que parece, e a praia apetece. As férias, se não houver novo alinhamento político sobre a matéria, acontecerão na terceira semana de Agosto, presumivelmente com este governo ainda em funções e com as dúvidas sobre o referendo a propósito da Constituição Europeia, cada vez mais ferida no seu conteúdo que quase ninguém conhece em profundidade, a manterem-se. Mais perto das eleições autárquicas (votem bem se fazem favor), com as forças políticas já então todas perfiladas a ver quem mente mais, isto é, a ver quem mobiliza mais.
A nova Lei da Água vem aí. Mais uns pozinhos a sairem do bolso do cidadão, coisa insignificante, de acordo com o Ministro do Ambiente, o nosso amigo Francisco. Afinal trata-se só de mais uma taxa, desta vez a dos Recursos Hídricos. Para que vai servir a taxa? E isso importa? Ora, meus caros, umas migalhitas mais com que se depaupera o nosso orçamento familiar, já tão depauperado. (Eu não escrevi depauparado mas sim depauperado, malandragem...). E assim contribuímos para o emagrecimento do deficit (ou deverei escrever défice?) nacional. A bem dizer.
A selecção de todos nós (?) venceu a da Eslováquia por 2-0. Mestre Scolari não brinca em serviço. Recuperou o Alex que no Benfica não jogou patavina, inventou um defesa esquerdo, o Caneira (não confundir com Taveira), aceitou, ou fomentou, talvez, o regresso do Luis Figo, e pimba. O apuramento para o Mundial Alemanha 2006 quase garantido. Na 4ª feira mais um joguito, em Tallin, contra a Estónia. Estranho a ausência de Simão Sabrosa mas eles lá sabem o que fazem e porquê.
Aqui para nós, parece não se confirmar a saída do Ricardo para o Inter... marché. Ontem não sofreu golos e pode ter readquirido o estatuto de guarda-redes ideal. Qual Quim, qual Vítor Baia. Ricardo é que é. Assim como assim, quando cheirar a frango já ninguém se admira nem leva a mal.
Segundo fontes bem informadas, o crédito por telefone é que está a dar. Sem sair de sua casa, você pede umas massitas da forma aparentemente mais fácil que se possa imaginar. Quer dizer, fácil é, rápido é que nem sempre. Mas cuidado com o que depois tem que pagar. O juro é alto, juro que é. No final das contas, paga-se só três vezes mais. Que diabo, a coisa até não é má de todo. Telecrédito, pois então. Trim Trim, pede 1000 paga 3000.
Ah! A Suiça aderiu àquela coisa do espaço Schengen. Assim, já podemos ir fazer depósitos na tal conta bancária que sempre tivemos sem precisarmos de passaporte nem outras artimanhas.
Agora vou deliciar-me com o meu relógio novo.
Está uma brasa enorme. Onde? Não, não é uma dessas brasas, é calor, gente.
Sai um refresco! É já a seguir. É que é já... a seguir.
Xau, ahn?

Comentários Alternativos - Haloscan:
|




sexta-feira, junho 03, 2005 

ESTAVA A PASSAR-ME MAS JÁ ME PASSOU

Vamos lá a dar um descanso ao Governo. E por que não falar de uma grande medida que Sócrates, himself, tomou. Ou mandou tomar, sei lá.
Os medicamentos comparticipados vão baixar 6%. Ora tomem lá seus desacreditadores de governos!
Isto é que é uma medida totalmente reformista. Com profundidade e sentido de Estado.
Boa malha, camarada Sócrates.
A malta vai desembosar menos 6% na compra de medicamentos. Desde que sejam dos comparticipados.
E quem é que vai encher os cofres quem é? Isso interessa lá. Era o que faltava! Metem-nos 6% no bolso e ainda queremos saber para onde vai grosso do bolo. Francamente...
E as reformas? Aquelas que significam deixar de trabalhar. Essa mesmo, bolas.
Com que então os meninos e as meninas já estavam a afiar os dentes para dar o salto, n'é? Trabalhar até aos 60 anos? Cumé? Pois tá claro. Os gajos cá fora a bulir até aos 65 e os finórios da Função Pública davam o fora 5 anos antes.
Muito bem óh Cunha. Mande-os trabalhar mais uns anos. Cambada de oportunistas! Era o que faltava. Já basta passarem a vida sem fazer a ponta dum ... dum... disso, ainda queriam ir pró jardim mais cedo. E os pobres coitados no privado que até têm ordenados de miséria, a trabuquirem e tal.
E esse tal de ... caramba como é que se chama aquilo? Ah o TGV. Isso é que faz falta. Então os espanhóis, esses oportunistas e incultos ibéricos têm e a gente não? Não queriam mais nada, não? E como é que a gente de iguala aos nuestros hermanos? Pois tá claro, com TGV. Não... queriam que fosse com cultura e essas tretas que não interessam a ninguém. TGV é que é. Mainada páh.
E um aeroportozito? Óh xor ministro você não desista da ideia. Isso é que é olhar para a frente. Não deixe que o desmotivem tá bem? Se fôr preciso, conte comigo. Uma forcinha, é para já. É na Orta não é? Ahn? O quê? Ah, na Ota, pois. Vá, jovem, vamos lá com isso prá frente. Então se os americanos têm dezenas de aeroportos a gente somos alguns miseráveis ou quê? E já agora não se pode mudar o nome à coisa? Em vez de aeroporto que tal aerobenfica? Era do melhor.
Estádios de futebol já temos. E todos muito bem estruturados. Bonitos. Funcionais. Até dão para jogar à bola. Onde é que já se viu? Só cá. No nosso cantinho.
Quais hospitais quais quê. Se estamos em crise ergonómica, perdão, económica, que se lixem os hospitais. A malta que se aguente com umas aspirinas e tal, ainda para mais que vão custar menos 6%, e quando estiver à rasca, como a geração, vá aos sempre funcionais postos de saúde. Olha agora hospitais. Se a gente vai a um posto de saúde e temos lá tudo... Francamente.
Óh da Saúde, você não vá na conversa dessa gente antiquada. E logo um Hospital no Algarve. Olhamestes, tá-se mesmo a ver. No Algarve, ali à beira da praia e tudo. Tá bem tá.
Óh Sócrates, engenheiro, o menino está a fazer um bom trabalho. Até já mandou recado que esta coisa da crise deve tar quase resolvida em 2008 ou lá o que é. Tão cedo? Não tenha pressa, amigo, a malta aguenta mais uns anitos, garantidamente. 2010, ou 11, ou 12. Esteja à vontade, camarada. É só dizer ca malta alinha.
É verdade. Os submarinos com portas sempre vêm? Eu acho que devem vir. Coisas submersas em muita água sempre foi o nosso forte. E como temos umas costas largas precisamos desses vasos de guerra para fazer a vigilância.
É cumós aviões e os helicópteros. Não me digam que vamos ficar sem essas gloriosas máquinas voadoras! E depois cumé que defendemos o território duma invasão qualquer?
Bem, agora que o meu patrão tá a chegar o melhor é cavar. Se o gajo me apanha aqui agarrado ao PS ou ao PC ou lá o que é isto, tou feito.
Se ele vos perguntar alguma coisa digam que num sabem de nada. Num viram, num tavam cá.
Qualquer coisinha falem comigo no Zicks. É um bar que abriu ali em baixo mas como não tem licença tem que fechar mais cedo, lá prás 4, 5 horas. Topam? Mas tem lá umas miudas que até me passo.
Bem agora é que vou. E cumé que saio daqui? Xave as draft? Publix poste? Olha, vai à sorte.
Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Comentários Alternativos - Haloscan:
|